BAYER E PRODUTORES DE MAÇÃS DE VACARIA (RS) DEBATEM O ATUAL CENÁRIO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA

BAYER E PRODUTORES DE MAÇÃS DE VACARIA (RS) DEBATEM O ATUAL CENÁRIO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA

Grandes produtores e agroindústrias de maçãs e uvas se reunirão no dia (19), às 19h, no espaço de eventos Casa de Pedra, para tratar do cenário atual das plantas daninhas nas macieiras do Rio Grande do Sul, segundo maior produtor da fruta no Brasil. A Bayer realizará o encontro com a participação de pesquisadores e apresentará o novo herbicida Alion, tecnologia que revolucionou o manejo da matocompetição para os cultivos de café, citros e cana-de-açúcar e que também esta disponível para a produção de maçã.

O cultivo da fruta é abundante na região de Vacaria, com mais de 200 mil toneladas por ano, a cidade, segundo o Atlas Socioeconômico do Governo do RS, é responsável por 50% do abastecimento nacional. Na safra 2018, o levantamento da Associação Gaúcha de Produtores de Maçã (Agapomi) contabilizou mais de 400 mil toneladas de maçã colhida.

Este cenário de produção com alta qualidade exige preocupações com o manejo da cultura, seja para o cultivo de macieiras ou para a vinicultura. A planta daninha é um importante problema para o produtor rural devido à matocompetição, pois torna-se refúgio de pragas, inóculo de doenças e principalmente pela demanda em mão-de-obra para o seu controle. Atenta a estas particularidades, a Bayer estende para as fruteiras o uso do herbicida Alion. Ao todo foram 150 campos demonstrativos em todo Brasil que comprovaram a eficácia do produto no manejo de lavouras frutíferas, sendo 62 campos no RS.

O herbicida pré-emergente atua diretamente no solo, inibe a germinação e emergência de plantas daninhas possibilitando um número reduzido de aplicações. “Alion contribui para a sustentabilidade do negócio do produtor, pois permite menor número de aplicações, contribuindo para a redução do consumo de água, maquinário, CO2, além da redução da mão de obra no trato das lavouras e permite ao produtor ter uma colheita no limpo, otimizando assim o processo”, afirma Elaine Delgado, coordenadora de marketing da Bayer.

 

Rogério Souza

 

Grupo Cultivar

 

Compartilhe este post