CLIMA AJUDA E PRODUTORES COLHEM BOA SAFRA DE CAJU NO CEARÁ

CLIMA AJUDA E PRODUTORES COLHEM BOA SAFRA DE CAJU NO CEARÁ

Chuva garantiu frutos vistosos e cajueiros fartos. Produtor da região aproveita a castanha, o caju e até o bagaço da polpa.

Wanyffer Monteiro

Itapipoca, CE

Quem investe em caju no Ceará, está tendo uma boa safra. Após anos de perdas, o clima ajudou e os frutos estão vistosos, o que garante um bom aproveitamento.

Cada caju tirado do pé é uma vitória para os produtores de Itapipoca, a 135 quilômetros de Fortaleza. Os cajueiros do agricultor Marcôndio Moura são novos, têm cinco anos. Conheceram apenas seca. É a primeira vez que ele tem uma boa colheita.

“Como nesse ano fomos até um pouco privilegiados, batemos 1000 mm nessa região, foi muito boa a produção em relação ao ano passado. Esse ano a gente já colheu por volta de 2500 quilos. No ano anterior, nessa época, provavelmente tinha colhido 500 quilos”.

Produtores mais experientes, como o Luis de Sousa Neto, na lida há 14 anos, também agradecem pelo presente que a chuva trouxe este ano. Enfim, cajueiros fartos. Em anos anteriores, o Luis chegou a colher apenas 200 quilos. Este ano espera tirar 2000 quilos de castanha. Graças à chuva e aos tratos culturais.

“Uma cobertura morta está protegendo o sistema radicular do cajueiro, porque a umidade fica retida embaixo da cobertura morta”, explica Luis.

Após colher os cajus ele retira as castanhas. Elas serão vendidas e os cajus aproveitados de várias formas. A maior parte vira polpa para suco.

Nada é jogado no lixo. Quando o caju vira polpa, o que sobra é o bagaço, que aparentemente não serve para nada. Mas pesquisando o produtor descobriu que ele é rico em proteínas. Depois de passar três dias secando ao sol, é assim que ele fica. Essa fibra misturada ao milho, por exemplo, vira ração para os animais em tempos de seca.

Este ano o produtor está recebendo, em média, R$ 3,30 pelo quilo da castanha. No ano passado recebu quase o dobro. A caixa de caju está sendo vendida por R$ 25. Na última safra, como a oferta era menor, saía por R$ 40.

O Ceará lidera a produção nacional de caju.

 

G1

Compartilhe este post