CONTROLE DO ÁCARO DA LEPROSE PODE SER FEITO COM MENOR VOLUME DE CALDA ACARICIDA

CONTROLE DO ÁCARO DA LEPROSE PODE SER FEITO COM MENOR VOLUME DE CALDA ACARICIDA

Uso de 100 ml de calda/m³ de copa proporciona mesma proteção do que volumes maiores e reduz custos

 

O controle do ácaro da leprose pode ser feito com volume de calda acaricida de 100 mL/m³ de copa, sem a necessidade de correção da dose do produto. A nova recomendação para o manejo da doença baseia-se nos resultados obtidos em duas pesquisas realizadas no Mestrado Profissional em Controle de Doenças e Pragas dos Citros – MasterCitrus, do Fundecitrus, de 2014 a 2017. O pesquisador do Fundecitrus e orientador dos projetos, Renato Bassanezi, afirma que os citricultores podem adotar a mudança com segurança, sem perda de eficiência. “O volume de calda acaricida de 100 mL/m³ foi testado em quatro experimentos, em diferentes anos, regiões e em pomares adultos com difícil controle da leprose, demonstrando efetividade e proporcionando economia”, diz.

A leprose é uma das principais doenças da citricultura e atinge, principalmente, laranjeiras doces. Provocada por um vírus transmitido pelo ácaro Brevipalpus phoenicis, pode causar perdas de produção e redução da vida útil da árvore debilitada.

 

Testes em SP: pomares com histórico da doença

 

A primeira pesquisa foi conduzida pelos engenheiros agrônomos Rodrigo Salvador e Archimedes Nishida para avaliar cobertura (porcentagem da área coberta pelas gotas pulverizadas), deposição (quantidade do produto retida nas folhas das plantas) e período de controle proporcionados por diferentes volumes de calda acaricida. No experimento 1, em laranjas Pera Rio com idades de nove a 13 anos, em Guaraci (SP), foram testados volumes de calda, para dois acaricidas, de 100, 200 e 242 mL/m³ (nas doses comerciais recomendadas pelos fabricantes) e 100 mL/m³ (com correção da dose para a mesma quantidade aplicada no tratamento com 200 mL/m³). Verificou-se que a deposição dos volumes de calda de 100 e 200 mL/m³ foi igual – sendo 100 o ponto teórico de escorrimento – e que a cobertura foi similar para todos os tratamentos. Independente do volume utilizado, o período de controle do ácaro da leprose foi o mesmo.

No experimento 2, em pomar de Pera Rio de oito anos, em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), foram testados volumes de calda de 65, 100, 200, 442 mL/m³ (com acaricida na dose recomendada em bula) e 65 e 100 mL/m³ (com correções das doses de quatro e duas vezes as utilizadas no volume de 100 mL/m³, respectivamente). Observou-se que, com o aumento do volume de calda, a deposição e a cobertura na superfície foliar foram crescentes, porém os volumes de 65 mL/m³ com a dose corrigida e volumes iguais ou maiores que 100 ml/ m³ proporcionaram o mesmo período de controle.

 

Experimentos em MG: condições climáticas favoráveis

A segunda pesquisa foi feita pelo engenheiro agrônomo Carlos Eduardo Sichieri para avaliar cobertura e deposição da calda, mortalidade e período de controle do ácaro. O experimento 3 foi realizado em Prata (MG), em pomar de Pera Rio de seis anos, e o experimento 4, em Comendador Gomes (MG), em laranjeiras Rubi de cinco anos. Os volumes de calda acaricida utilizados foram de 100, 140 e 180 mL/m³. Como resultado, a deposição e a cobertura dos tratamentos foram similares, bem como o período de controle do ácaro no campo, apresentando também, em frutos destacados e avaliados em laboratório, eficiência de mortalidade acima de 95%.

Economia e maior rendimento operacional

Dentre os benefícios da redução do volume de calda acaricida estão a elevada economia de água, produto, diesel e mão de obra e o aumento do rendimento operacional, possibilitando ao citricultor tratar sua área em menos tempo. Ao pulverizar com 100 mL/m³, é necessário garantir cobertura mínima de 40% no interior da planta, então são recomendadas gotas finas com diâmetro mediano volumétrico (DMV) entre 100 e 200 μm e velocidade de até 3 km/h.

 

Assessoria de imprensa:

Agência Rebeca – Beatriz Flório – (16) 99756-5467/ (16) 3336-3131

Rodrigo Brandão – (16) 99618-0136

Fundecitrus

Compartilhe este post