RJ: DIA DE CAMPO SOBRE DOENÇAS FOLIARES DO COQUEIRO REUNIU PRODUTORES DA FRUTA NA REGIÃO METROPOLITANA

RJ: DIA DE CAMPO SOBRE DOENÇAS FOLIARES DO COQUEIRO REUNIU PRODUTORES DA FRUTA NA REGIÃO METROPOLITANA

Evento em Santa Cruz, no Rio de Janeiro, teve como objetivo melhorar a produtividade e a qualidade dos frutos ofertados

Rio de Janeiro/RJ

Em mais um evento do projeto para fomento da produção de coco no Estado do Rio de Janeiro, implementado pela Secretaria estadual de Agricultura, cerca de 90 produtores e técnicos da secretaria e Emater-Rio, participaram na última quinta-feira (19), de Dia Especial sobre Controle das Doenças Foliares do Coqueiro.

O evento, na sede da Associação Rural Nipo Brasileira de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, reuniu produtores de coco dos municípios de Itaguaí, Seropédica, Cachoeiras de Macacu e Rio de Janeiro e foi programado a partir do diagnóstico elaborado pela Emater-Rio, que apontou as doenças foliares como principal fator limitante para cultura da fruta.

Na ocasião, o professor Silvaldo Felipe da Silveira, mestre na Uenf – Universidade Estadual do Noroeste Fluminense, apresentou os resultados das últimas pesquisas que vem desenvolvendo para o combate dessas pragas, dicas sobre o manejo da cultura para evitar a contaminação da água de coco e formas para melhorar a sanidade dos coqueirais.

Em duas estações, os participantes do evento puderam observar, na prática, aspectos sobre a ecofisiologia e a arquitetura dos coqueiros e maneiras de monitoramento e acompanhamento da lavoura. Na primeira delas, o engenheiro agrônomo da Emater-RIO, João Batista Pereira, apresentou os principais cuidados no momento da instalação do coqueiral, de modo a obter as condições favoráveis para o bom desempenho da cultura.

– O espaçamento entre os coqueiros, o cuidado com as raízes e as forma de irrigação podem fazer toda a diferença para a vida útil, bem como para a sua produtividade, afirmou o extensionista.

Na segunda estação, o professor da Uenf, mostrou a importância do monitoramento de cada planta, a identificação das principais doenças que acometem os coqueirais dessa região e as formas corretas de adubação e aplicação de defensivos.

Para o produtor Luiz Carlos Hoshima, de Itaguaí, as informações repassadas pelos especialistas foram de grande utilidade prática e vão contribuir para a melhoria da produtividade da cultura.

– O local correto para a aplicação do defensivo foi uma dica importantíssima no manejo dos coqueirais. De nada adianta utilizar o produto indicado se sua aplicação não for a correta. Isso é um ponto em que vou melhorar, com certeza, destacou ele.

Embora os municípios do Rio de Janeiro, Seropédica e Itaguaí figurem entre os cinco maiores produtores estaduais de coco, nos últimos anos a produção e produtividade de seus coqueirais vêm sofrendo redução e inviabilizando a cultura com baixo retorno do capital investido.

Segundo o diagnóstico da Emater-Rio, nos últimos anos a produção de coco em Itaguaí já contabiliza queda de 76% e 20% em Seropédica. A produtividade nesses municípios também está em declínio, com média de 50 frutos/ano por coqueiro. O documento aponta as doenças foliares como grandes responsáveis pela situação.

Frequentador assíduo dessas ações promovidas pela extensão rural, José Ferreira, proprietário do sítio Forte Apache, em Santa Cruz, afirmou ser fundamental manter-se bem informado para o sucesso da atividade.

– É importante saber quais defensivos são legalizados para a cultura. Isso evita perda de tempo, dinheiro e perda de produção, enfatizou o produtor.

Na avaliação do professor Silvaldo Silveira, o Dia de Campo foi uma ação relevante, que uniu a pesquisa e a extensão rural em prol de uma demanda real dos produtores de coco.

– Fiquei satisfeito de poder mostrar os resultados práticos do meu trabalho para agricultores interessados em melhorar suas plantações. A partir desse trabalho conseguiremos melhorar a produtividade nesses municípios e, mais importante, conscientizar os agricultores sobre a necessidade de um manejo adequado – disse.

 

Fonte: Governo do Rio de Janeiro

Compartilhe este post