RS: FRUTICULTURA APRESENTA-SE COMO ALTERNATIVA VIÁVEL PARA MUNICÍPIOS DO NORDESTE DO ESTADO, DIZ EMATER/RS

RS: FRUTICULTURA APRESENTA-SE COMO ALTERNATIVA VIÁVEL PARA MUNICÍPIOS DO NORDESTE DO ESTADO, DIZ EMATER/RS

São João da Urtiga/RS

A fruticultura tem se mostrado como importante alternativa de renda para produtores da microrregião que abrange os municípios de Barracão, Cacique Doble, São José do Ouro, Santo Expedito do Sul, Maximiliano de Almeida, São João da Urtiga, Paim Filho e Maximiliano de Almeida, situados no nordeste do Rio Grande do Sul. Com solo e microclima adequados, já são cerca de 400 hectares com fruticultura, com destaque para a viticultura e a citricultura.
Nesta quarta-feira (04), a propriedade de Clécio Brezolin e família, no município de São João da Urtiga, recebeu cerca de 90 agricultores em um Dia de Campo sobre Fruticultura. A atividade foi realizada pela Emater/RS-Ascar, conveniada com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), e Prefeitura.
Foram três estações técnicas. A primeira, que abordou o manejo de pragas e doenças da maçã, foi apresentada pelo técnico em Agropecuária da Agrocaxias, Lucas Baroni Polazzo. Já o engenheiro agrônomo e professor da Universidade de Passo Fundo, Alexandre Nienow, falou sobre os tratos culturais do pessegueiro. Conservação e fertilidade dos solos foram abordados pelo técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Germano Luis Anguinoni e pelo técnico agrícola da Secretaria Municipal da Agricultura de São João da Urtiga, Vinícius Weber.
O anfitrião Clécio Brezolin possui sete hectares de maçã, seis hectares de pêssego e oito de caqui. Ele que já trabalhou na região da Serra, está satisfeito com a atividade e tem como mercado para seu produto a região de Caxias do Sul.
Para o gerente regional da Emater/RS-Ascar Oriberto Adami, que participou do evento, essa microrregião tem um grande potencial para fruticultura. Além do solo e do microclima, a estrutura fundiária também é adequada, sendo a fruticultura uma excelente opção de geração de renda, avalia. Segundo Adami, no caso da maçã, esta microrregião já conta com 35 hectares e tem como vantagens a qualidade do produto e a produção antecipada, em função do clima.
Participaram também do evento o prefeito de São João da Urtiga, Armando Dupont; o coordenador regional da Seapdr, Robson Duarte; e o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar, Dartanhã Luiz Vecchi. No próximo dia 12 de dezembro, mais um Dia de Campo sobre Fruticultura será realizado na região, desta vez no município de Paim Filho.

Fonte: Emater/RS

Compartilhe este post