RS: MANEJO DE FRUTÍFERAS É TEMA DE CAPACITAÇÃO PARA AGRICULTORES DE ESTRELA VELHA, DIZ EMATER/RS

RS: MANEJO DE FRUTÍFERAS É TEMA DE CAPACITAÇÃO PARA AGRICULTORES DE ESTRELA VELHA, DIZ EMATER/RS

Estrela Velha/RS

Um grupo de 20 agricultores participou, na quarta-feira (31), na propriedade da família do produtor Nilo Pereira, no município de Estrela Velha, de um Dia de Campo sobre fruticultura. No local está implantada uma Unidade de Referência Técnica (URT) em Solos e a família participa do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

A programação iniciou com a apresentação das informações da propriedade rural e uma roda de conversa entre os participantes. Em seguida, o técnico em agropecuária e o Assistente Técnico Regional (ATR), ambos da Emater/RS-Ascar, respectivamente, Fernando Redin e Vivairo Zago, falaram sobre poda de frutíferas e utilização de caldas protetoras de plantas, com destaque para as caldas sulfocálcica e bordalesa.

Segundo Zago, a calda sulfocálcica é utilizada no tratamento de inverno para variedades de pêssego, ameixa e nogueira pecã na redução de doenças que ocorrem na primavera como a podridão parda do pêssego e a escoliose da videira. “A aplicação desta calda, que é uma mistura de cal e enxofre, visa reduzir a fonte de fungos que vão se desenvolver durante a primavera”, explica. Já a calda bordalesa possui ampla atuação, sendo mais utilizada para o controle de doenças fungicas em frutíferas e hortaliças. A calda bordalesa é uma mistura de cal com sulfato de cobre. Neste caso deve ser observado o Ph da calda que deve ser de 6,5 a 7. “Cabe ressaltar que ambas as caldas são permitidas na produção orgânica”, ressalta.

Quanto a poda, os extensionistas explicaram a maneira correta do agricultor fazer as podas de formação e de frutificação, com demonstrações em nogueira pecã, pêssego, caqui e pera. “A poda visa preparar a planta para frutificação, deixando mais espaço para a entrada de sol e retirando ramos doentes, secos e em excesso. Isso deixa os ramos mais produtivos, em quantidade equilibrada e de acordo com o potencial que a planta tem para produzir frutos de qualidade. A poda também reduz o número de frutos por planta, produzindo frutos de melhor qualidade e tamanho maior, mais fácil vender”, observa Zago.

Ainda segundo ele, a poda também contribui com a aplicação das caldas devido as ramificações mais distribuídas o que resulta na melhor eficiência no resultado dos tratamentos e melhor manejo das plantas.

O dia de Campo foi promovido pela Emater/RS-Ascar e Secretaria Municipal de Agricultura. “A parceria com a Administração Municipal nos permite realizar um melhor trabalho na busca de melhores ferramentas para auxiliar nossos produtores. Agradecemos ainda a família Pereira pela disposição de sempre em nos receber”, frisou a extensionista Rural Social da Emater/RS-Ascar, Giana Redin.

Fonte: Emater/RS

Compartilhe este post