SC: COMITÊ APROVA PLANO DE TRABALHO PARA GARANTIR SANIDADE DE POMÁCEAS

SC: COMITÊ APROVA PLANO DE TRABALHO PARA GARANTIR SANIDADE DE POMÁCEAS

Lages/SC
O Comitê Interestadual de Sanidade de Pomáceas (Cisp) aprovou o plano de trabalho para os próximos dois anos em reunião realizada no auditório do Sindicato Rural de Lages, nesta terça-feira (20), na Serra Catarinense. Instituído por Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e formado por técnicos e representantes da cadeia produtiva, o CISP tem como objetivo subsidiar tecnicamente as secretarias estaduais de Agricultura, o Ministério de Agricultura (Mapa) e os órgãos de defesa agropecuária com procedimentos para garantir a segurança sanitária de pomáceas.

O plano de trabalho aprovado tem caráter bianual e propõe o estabelecimento de diretrizes para garantir a sanidade das pomáceas cultivadas nos três estado do Sul. Desta forma, técnicos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul estarão integrados para desenvolver gestões que contribuam para a solução de problemas sanitários (pragas e doenças fitossanitárias), assim como captar recursos para atendimento de situações sanitárias emergenciais, entre outras ações, como apresentar propostas de revisão da legislação e estabelecer canais de comunicação e informação técnica entre entidades, produtores e sociedade.

De acordo com Yuri Ramos, gestor regional da Cidasc em Lages, as pomáceas sofrem três ameaças sanitárias que necessitam ser observadas pela cadeia produtiva. “Temos o cancro europeu, que está presente no país; a Cydia Pomonella, que foi erradicada no Brasil, e o fogo bacteriano, existente em outros locais (exterior) e que exige uma vigilância constante das autoridades sanitárias. A nossa ideia aqui é aprovar o plano de trabalho e definir os principais limites de atuação de cada integrante do comitê”, explica. O Cisp conta com total apoio da Secretaria Estadual de Agricultura de Santa Catarina. “Participamos ativamente da criação do comitê, e o secretário Airton Spies abraçou a causa, pois é uma ação que favorece a todos, começando pelos produtores e chegando até aos consumidores”, afirma a secretária executiva do Cisp, Francieli Magri, que coordenou os trabalhos na reunião.

Diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores de Maça (Abpm), Moisés Lopes de Alburquerque destaca a importância da formação do Cisp para a cadeia produtiva. “É um órgão independente e através dele queremos sugerir política públicas em busca de uma excelência na produção, fazendo com que o Cisp seja uma marca reconhecida nacionalmente e internacionalmente”, afirma. Em 2017, de acordo com a Abpm, o Brasil produziu 1,330 milhão de toneladas de maçãs, gerando um faturamento na cadeira produtiva da ordem de R$ 6 bilhões, com a geração de 150 mil empregos diretos e indiretos, sendo a maçã a terceira fruta mais consumida no Brasil, atrás apenas da banana e da laranja.

SAIBA MAIS:

O Cisp foi instituído em 13 de junho de 2017 pelos secretários estaduais de Agricultura do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

As reuniões – duas por ano – serão realizadas nos meses de março e novembro.

É formado por representantes das secretarias de Agricultura de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, técnicos de órgãos de pesquisa agropecuária (Cidasc, Epagri, Adapar, Iapar e Embrapa) e das associações de produtores (Abpm, Amap, Frutipar e Agapomi).

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de SC

Compartilhe este post